Avançar para o conteúdo principal

Contactos


Olá a todos,
Aqui vão encontrar as redes sociais do blog. Estas podem servir para avisar-vos da saída de novas publicações do mesmo, ou de outras novidades. Ou simplesmente para esclarecer-vos alguma dúvida que tenham sobre o blog ou outras questões que possam surgir. Terei todo o gosto em responder a todas as perguntas que surgem.
  1. E aqui vão elas:
     2. Email Do Blog:
  • omundodamarciacolaco@hotmail.com
     3. Spotify da Blogueira:
  • Kizomba d'O Mundo da Marcia Colaço
  • O Mundo da Márcia Colaço
     4.  Wattpad da Blogueira:
Quem sabe que não nos encontramos para ai? Estaremos juntos em todos os posts e em todas as redes sociais. Espero que gostem de estar na minha companhia, lendo o que eu escrevo todos os meses, com todo o gosto pela escrita. Divirtam-se.
Beijinhos,
Márcia Colaço.

Comentários

Os Populares!

Na Casa Mistériosa!

"Zangaste com os teus pais e saíste de casa para espairecer. Dado uma altura chegas a uma floresta de arredores da tua cidade. Parece que é um sonho, mas é realidade. Estás em frente de um ambiente pesado, cheio de nevoeiro que cobre as árvores à tua volta e não sabes como chegaste ali. Estás a andar em frente, mas parece que estás a dar voltas. A data altura vez uma nuvem na desaparecer e partilhar uma visão de uma casa  de uma bruxa muito malvada que tem 150 anos. Reparas que a chaminé dessa estranha casa sai um fumo verde com um cheiro nada agradável que parece vómitos. Tu pedes ao corpo para fugires, mas… a tua curiosidade é maior. Entras por uma porta que grita como uma mulher em perigo e ao utrapassá-la vês um gato arrepiante com uma bruxa vestida toda de preto e um chapéu preto pontiagudo e na cara tinha um queixo e nariz grande, olhos e boca pequena e, para terminar, uma verruga ao pé do nariz.
Houve uma tensão e ninguém se moveu. Aparece um corvo que alivia a tensão e pr…

Quero Te Falar!

"Se eu não me preocupar, a nossa amizade é como se não existisse. Se isso não acontecesse, não seríamos as melhores amigas, nem irmãs. Se não me preocupar contigo, não te procurava tantas vezes como o faço. Nunca te tinha falado ao longo deste tempo nem te mandava qualquer mensagem nem te tinha falado quanto te via na rua. Se me preocupo verdadeiramente, é porque valorizo a nossa amizade a valer e queria falar-te o quanto estou preocupada contigo, e com a nossa amizade e o que eu sinto realmente. É algo que me preocupa verdadeiramente é saber se há algo que passou para estarmos distantes e diferentes uma com a outra. É o que eu sinto mesmo. Que há algo que passou ao longo de três anos que não estará bem ou que poderá ter mudado em nós. És uma das amigas que quero continuar a conviver. A desabafar. A conversar sobre tudo e sobre nada. Que quero manter junta nas aventuras mais loucas de sempre. Queria muito poder ajudar-te de qualquer forma, mesmo que impossível, porque para mim: …

Abandonos de animais. Porquê?

Abandonos de Animais. Porquê? Encontro vazio nestas ruas, nestes campos, na próxima esquina. Mas o que eu gostava mesmo era de ter um lar, onde alguém pode cuidar de mim e me educar. Ninguém pensa que eu tenho amor para dar, sou segurança para aqueles que cuidam de mim. Abandonar-me porquê? Qual o teu motivo? Sim, o seu humano sem coração.
Eu não precisei de aprender duas vezes para amar verdadeiramente. Sei o que é amor para além das minhas asneiras. Mas eu pergunto: "- E tu não fazes asneiras? Não erras?" Lamento te dizer que nós também, só com uma diferença: precisamos de mais tempo para aprender direito. Qual a tua atitude enquanto ser humano? "Ele safa-se!", "Não temos condições de continuar a cuidar dele!",...... Estas e outras frases já são ocorrentes na vida dos nossos animais de quatro patas. E, ainda por cima, eles sentem isso. Eles conseguem perceber, nem que seja um único pormenor. O que eu realmente pergunto é: "Porquê? Porque é que fazemo…

Lágrimas Soltas!

Deito lágrimas para me soltar. Para me tranquilizar. Solto-as para esquecer que algum dia vivi aquele sofrimento. Aquela luta que vivi alguma vez. Aquele sufoco que me prende ainda nos dias de hoje. Aquela dor que quero soltar.
Aquelas palavras que quero soltar, mas que me magoam demais. Palavras essas que me prendem no mais escuro canto do meu ser. Ser esse que não têm valores para muitos e valorizada por poucos.
Alívio. Vazio. Tranquilidade. São sensações maravilhosas depois de ter soltado todas as lágrimas. Lágrimas soltas. E são mesmo assim. Soltas. Soltas e que vaguem à procura do próximo ser que precisa de ser libertado. E outras vezes, anda em círculos em cima da nossa cabeça à espera de uma nova libertação.
A sensação de libertação precisa, volta sempre. E, nesses casos, o meu coração não ajuda. Fica preso. Sem reação. Ter dificuldades de respirar fundo. Sozinha sossego. Na escuridão do meu quarto. Ou debaixo de uma manta à luz do dia. Choro até as lágrimas secarem dentro de…